17.10.16

CORTEM-ME A CABEÇA


Se a minha cabeça parasse por um minuto de pensar, talvez eu conseguisse um pouco de ânimo. Não é que deixei de lado todos os planos e qualquer projeto para o futuro, mas é que eu não consigo agir com tamanha preocupação sobre os meus ombros. Me lembro de cada cobrança e de cada crença que fora depositada em mim. Eu só queria que todos conseguissem entender que o que espero de mim é pouco, mas o que esperam de mim é demais.

Toda vez que estou deitado vejo um filme dramático demais e mesmo sempre desejando ter um trajeto leve e pacato, acabo sempre em sombras. Minha vida parece um fardo pesado demais para mim e eu pareço um morto vivo para a minha vida. Se eu deixasse de sentir tanta insegurança e fosse menos cobrado, talvez eu conseguisse ir para frente. Se todos deixassem de me olhar com tanta acusação e tanto julgamento, talvez eu conseguisse suportar todo o peso que me foi entregue.

Sei que devo bastante esclarecimentos e bastante gratidão ao mundo, mas parece que esse mundo não tem paciência para esperar eu quitar todas as minhas dividas. Cara, seria muito fácil se me cortassem a cabeça. Seria muito mais prático para mim deixar de existir. Seria muito mais humano que todos esquecessem o meu nome e a minha existência e me deixassem ter tempo para construir e para angariar fundos para colocar em ordem todas as minhas dividas.

Por favor, não me deixem para baixo e não condenem mais as minhas atitudes. Se fazem questão de se lembrarem de mim, então que também façam questão de lembrar de todas as minhas tentativas e de todos os meus acertos. Não sou composto somente de erros e dividas. Minha composição é a mesma que a de todos no planeta, mas o único diferencial é que sou lembrado não por ser amado, mas por cometer muitos erros e pouquíssimos acertos.

Artur Cacossi