SEU SÚDITO

Não tem problema
Eu paro de criar problema
Eu deixo de falar
Começo a escutar
E deixo de lado os poemas

Eu paro de gritar
Para te ouvir gritar
Deixo o volume no mudo
Para ouvir você
E o mundo

Eu coloco os pés no chão
Deixo meus devaneios
Para ser um humano bom
Como os demais humanos
Meros seres humanos

Mergulho em descompasso
Para seguir seus passos
Sonho seus sonhos
Declaro-me seu súdito
Enquanto deixo de ser lúcido

Eu paro de caminhar
Volto no tempo
Deixo de crescer
- Se for possível de viver -
Eu morro como nada
Se para estar com você
Eu preciso não ser
Não serei.