E MAIS UMA VEZ AS DÚVIDAS VÃO AO CHÃO

E mais uma vez as dúvidas vão ao chão...

E mais uma vez as dúvidas vão ao chão. Por que eu deveria conquistar os sonhos de uma antiga sombra? Cheguei a pensar que não era o tempo certo e as dúvidas e eu éramos um só. Cheguei a perder tempo lutando nessa guerra do "querer/não querer" sem armas e, para "ajudar", o tempo sentou numa poltrona confortável para me ver sofrer. Eu queria muito mesmo lutar sem armas, porém sentia as feridas do ataque da falta de coragem e as chicotadas do fracasso ardiam tanto. Antes de derrubar as muralhas construídas pelas dúvidas eu fui ao chão dezenas de vezes. Mais uma vez pensei que estava sendo honesto. Não confio na alegria alheia que permeia minhas conquistas e por isso decidi romper de vez a expectativa de um abraço. Continuo lutando e agora decidi usar algumas armas. Bom, eu tenho um coração amável e uma alma remendada que luta para não se quebrar e/ou se rasgar novamente. A ilusão é como uma lâmina afiada demais que destrói sonhos e pessoas.
Eu sou uma árvore que não vive sem os nutrientes essenciais. Posso ser cortado, mas as raízes sempre continuarão tentando me trazer a vida novamente. Desculpe senhor medo, mas você não me verá morrer sem ao menos tentar de novo. Sempre vigilante, passei a fugir do sono e a honestidade está escondida para ser usada no momento certo. Sei que sempre poderei sobreviver se usar as armas certas. Já caminhei a beira do abismo para salvar o que sempre restou de esperança girando em torno dessa vida. Eu quero isso; quero viver superando fracassos e fazendo tudo que posso para derrubar qualquer controvérsia ao chão. O desespero me rompeu e contra ele prefiro lutar sem armas. Não luto pela paz mundial e estou fugindo desse peso. A paz que almejo é interna, e sei que usando as armas certas ninguém alcançará minhas raízes. As decepções me secam e posso quebrar perante as dificuldades provocadas pelas tempestades, mas ninguém conseguirá me nutrir sem as armas certas. No fim, percebi que comecei a desenvolver um coração duplo e essa é a minha única e mais secreta arma. E todos os sentimentos pesados foram ao chão comigo.