16.2.16

VENCI O ORGULHO

Me resta pedir perdão pela proliferação de palavras insensatas
Guiadas pelo meu pobre e ganancioso coração. 
Todos os instantes que evitei as palavras doces 
Passei à sombra dos sentimentos teus. 
- Fui cego ou otário? 
Nem uma lágrima ou uma fascinação seriam capazes de explicar 
Minha notória e duradoura insensatez. 
Fui frio demais e tornei meu olhar gélido... 
- Você também errou! 
Não quis ver que me machucava! 
Ignorou meus apelos e rejeitou minhas palavras! 
Eu só quero esquecer tamanha batalha de orgulho. 
Viveste um aparente sossego, 
Uma falsa sensatez e um transbordamento de hipocrisia...
Deixemos esse mal esclarecido sem esclarecimentos; 
Sou cego, surdo e mudo.