SE QUISER SABER COMO ME SINTO

Não sei se você quer saber como me sinto, mas vou dizer como sua bagunça emocional me deixou.

Eu sempre fui e voltei, caminhei e parei, construí e destruí, gostei e desgostei. Você me conheceu exatamente assim: nômade. - Mas por incrível que pareça nem fez questão de valorizar os meus esforços de ir contra a minha natureza cigana por você. - Enquanto que eu sempre fui quem sou, você foi muitas coisas, muitas pessoas, muitos sentimentos, muita bagunça e, acima de qualquer coisa, bastante egoísta. Todos os traços que existem em mim, jamais poderão ser perfeitos. Todas as minhas características que mais te incomodam, parecem intocáveis, impossíveis de serem extintas ou alteradas. Não adianta chorar, gritar, fazer birra, me insultar e relutar para aceitar quem sou. Meu jeito diferenciado de ser, de ver, de ouvir, de sentir e de demonstrar o que sinto é legado da minha trajetória de vida. Meus sentimentos já estiveram muito confusos em relação a você, mas eu me defini quando percebi que seria impossível ir embora.

Todas as suas acusações e todos os seus medos parecem que são mais em relação a você do que sobre mim. Pode dizer que estou errado, mas mal cheguei a cometer de fato todas as atrocidades que você faz questão de colocar sobre mim. Não adianta começar a elencar meus erros agora, pois você nem sequer consegue lembrar dos meus acertos. Não me procure em suas imaginações e não tente me colocar nos seus roteiros de drama, pois há muito tempo você não me vê real, não me vê como devidamente sou. Sempre que suas ideias se distorcem a meu respeito, você coloca todos os seus medos acima do que sinto e acima de tudo que te entreguei para simplesmente me transformar na pior criatura do mundo. Pelo menos por hoje me arrependo de não ter sido um pouquinho de tudo que você disse que eu era ou ter feito boa parte de tudo que você disse que fiz.

Eu teria entendido e aceitado se você tivesse me falado de sonhos bons, de histórias felizes, de finais contentes e de amor verdadeiro, porque o que eu sinto (ou senti) é definitivamente verdadeiro. Acredito que seus sentimentos também eram verdadeiros, mas, não eram sobre mim ou sobre nós, eles eram exclusivamente sobre você. Se os seus sentimentos fossem reais e definidos, eu não iria me opor se você decidisse colocá-los acima de qualquer outra coisa, mas seu egoísmo fez aquilo que poderia ter sido feliz uma tragédia.

Quantas foram as vezes que suas acusações me destruíram e me fizeram sentir como se eu de fato não prestasse, não valesse nada e tivesse te causado todos aqueles males. Não sei como pude deixar que suas inverdades me machucassem tanto, mas talvez tenha sido o medo de você ir embora. Você já foi embora outras vezes, me deixou inúmeras vezes quando eu mais precisava e se manteve distante enquanto eu vivia o auge da minha desgraça, mas eu tentei aceitar os seus motivos e me esforcei para deixar tudo no passado, deve ser coisa do amor. Hoje estou com a minha armadura e talvez você nem consiga perceber que suas declarações me fizeram um soldado perante o amor. Não quero mais ter que chorar por suas feridas não curadas e por todos os machucados que você faz questão de se provocar para me culpar. Não adianta mais rever e repensar, pois foram três anos tentando sozinho construir algo construtivo e real. Só por hoje não quero deixar que você me ataque, me machuque e tente matar.