ELE INTERROMPEU SUA ADOLESCÊNCIA

DSCF0871

Eu não quero mais desviar minha atenção do caminho toda vez que o adolescente dentro de mim me der ordens. Eu aprendi e não preciso mais viver uma adolescência que fora tirada de mim quando eu tive a chance de vivê-la. Não tenho mais razão para guerrear contra a minha natureza em busca de respostas para uma vida inteira. Eu já usei muito da minha escrita para depositar meus anseios e minhas tristezas; posso agora usar tudo que descobri na minha puberdade retardada.

Agora quero colocar meus dois pés na estrada e seguir o meu caminho ao lado dos meus erros e acertos, bem perto das minhas tormentas e das minhas alegrias. Posso cantar minhas certezas e posso dançar com as minhas duvidas, pois já me cansei de sempre estar caído no meu próprio caminho, de por vezes ser meu próprio peso morto. Posso então agora assumir meus erros e tentar alterar meus defeitos. Não tenho mais medo de cair e nem anseio mais me enfiar em bagunças e sinto que nem preciso mais pirar a minha cabeça.

Se minha adolescência de fato ficará no meu passado, então que meu passado não seja mais presente. Que meu caminho seja longo e infeliz, curto e alegre, colorido e sem cor, rico e solitário, pobre e marcante pois a partir de agora quero viver tudo que me é entregue sem ter que me perder em tragédias e sem ter que me sentir uma tragédia. Que meu presente esteja sempre presente e que ele consiga me puxar do meu sufoco quando eu não souber mais como voltar.


Artur Cacossi