5.4.17

ABDICO A TAREFA DE ME ENCONTRAR

Abdico da tarefa de me encontrar
Pois sei que não me encontrarei
Largo mão de me criar moldes
Pois sei que jamais me encaixarei
Renuncio tudo que não vejo em mim
Pois só quero ter o que for de mim

As vozes que saem de mim, não ouço mais
Os ruídos que são sobre mim, não ouço mais
As palavras que deveriam ser minhas, não são mais
Os olhares que são voltados para mim, não percebo mais
As histórias que contam sobre mim, não contarão mais
Os preâmbulos que antecedem a minha chegada, jamais serão reais

Não sei aonde me deixei
Não sei aonde me esqueci
Não sei aonde me sentei
Não sei aonde me buscar

Poderia eu viver sem mim
Mas não quero viver com o que sobrou de mim
Poderia eu me procurar
Mas não quero mais ter que fuçar o mundo
Poderia eu me esquecer
Mas não quero ter que deslembrar meu caminhar

Posso ficar aqui com o que sei
Conviver em harmonia com o que não sei
Foi exatamente a visão que imaginei
Não querer saber tudo sobre mim
Mas poder ter controle sobre o que sei