8.4.17

ACREDITEI

Estive em corações vazios
Busquei morada onde não me queriam
Entreguei meu tudo
A quem não me viu
Me senti preenchido estando vazio

Conheci olhares cheios de duplicidade
Que em silêncio odiavam a minha complicada natureza
Enxerguei puramente o que não era
Fiz dos olhares que me cercavam
Luzes para a minha estrada

Conheci abraços frios
Busquei aconchego em afagos gélidos
Me sentia bem e sozinho
Enquanto me abraçavam
Não percebi que era envenenado

Acreditei em palavras
Fiz das declarações de amor
Minha cura para a dor
E queimei quando as palavras foram
E saboreei sozinho o desamor.