21.3.18

VOCÊ NEM ME DISSE ADEUS

Desenho cedido por Gabriele Morais para o Limoções em meados de 2016.
Minhas folhas caem, mas minhas raízes aparentemente estão mais profundas e vivas. Estou vivo e mais firme ao chão do que nunca, mas pareço apenas uma breve vidinha em desenvolvimento para você. Não fiz questão de abrir meu coração para dizer tudo o que eu sentia, mas parece que fui cruelmente atingido pelo seu veneno mortal. Você fez questão de me machucar por simplesmente ter usado a minha habilidade de confiar cegamente em você. Fui literalmente ludibriado por essa máscara que você usou. Fui severamente uma pequena muda de ingenuidade que você fez questão de nutrir para depois matar.

Suas frias ações eram evidentes, mas eu, por sempre me sentir carente, fui seu depósito de frustrações. Você fez de mim o seu depósito de vingança, mas ao mesmo tempo que me enchia de esperanças me contaminava cautelosamente. Como uma peça de roupa preferida, você fez de mim seu traje constante. Pobre de mim que me sentia único e amado. Coitado do meu pequeno ser que se sentia lisonjeado por poder ser querido por você. Para me sentir vivo e forte eu precisava respirar você, porém você precisava se sentir vingado e frio, por isso me deixou aqui sem ao menos me dizer adeus.

Me usou como um cavalo, me amou como um cachorro e me descartou como um brinquedo quebrado. Como poderia eu apenas continuar a crescer se você havia me cortado, me destruído e me queimado? Eu permaneci preso no seu feitiço poderoso sem entender os porquês de sentir um gosto amargo em minha boca toda vez que me lembrava daquele nosso beijo. Voltei várias vezes para o nosso histórico de conversas para procurar os porquês da partida brusca e fria. Eu passei horas olhando para a sua foto para simplesmente admirar sua cara de garoto mal. Tive que voltar para o lugar do nosso primeiro beijo para tentar relembrar o momento certo de quando você me injetou seu poderoso e único veneno.

Se eu fui a vitima perfeita, me deixe ao menos saber as qualidades que você viu em mim. Ainda não consegui me estabilizar, crescer saudável e voltar a me desenvolver pois você me deixou sem forças e sem nutrientes. Quis te querer de volta, quis me arrepender de gostar de você, quis ser mais atento aos seus sinais de um verdadeiro assassino de amores, quis dizer muitas palavras para você e quis me forçar a esquecer que você me fez o mocinho do seu filme de vilão.

Tentei não te odiar por simplesmente ter saído sem me dizer adeus. Volte aqui ao menos para me dizer adeus. Olhe para trás para simplesmente me dizer adeus. Me mande uma mensagem dizendo que não esqueceu de mim...

Esse texto é parte integrante de um projeto literário que foi cancelado pelo Limoções.
Composto com base em sentimentos de terceiros.
Esse escrito não reflete a opinião do autor do Limoções: Tiago Lima.