A GENTE



A gente cai
Fica no chão
Se arrasta 
Enfrenta a guerra
Sangra pela batalha

Entre contradições 
E violência
A gente vive a demência
De quem devia ser lucidez
Entre sonhos e promessas
Quem vence é burgues
O pobre só tenta
Enquanto a chapa esquenta
O nego morre

A gente fica dentro da briga
Matando um leão por dia
Enquanto convive com as armas
Passa a vida fugindo das balas
Assiste em silêncio a desgraça
Enquanto vive a própria tribulação

Do alto do querer
A gente não se dobra
Escala degraus
Se reafirma gente
Usando o rancor 
De quem nos faz mal.

Vamos conversar?