6.8.16

PALAVRAS (IN)FUNDADAS

Os meus tropeços sempre foram assistidos por muitas pessoas, mas meus acertos só tiveram o reconhecimento de Deus.


Havia tantas coisas para serem vistas, ditas e feitas, mas havia também o medo de ver, de dizer e de fazer. Complicado de explicar, mas sempre pareceu muito mais fácil deixar um sonho difícil de se realizar de lado para criar um novo. Naquela noite eu não me sentia bem comigo mesmo, por isso não consegui me sentir bem com tudo que estava ao meu redor. Sentei para compor algumas palavras, mas foi praticamente impossível. Não me recordo direito o que aconteceu, mas me lembro de estar em pedaços. Sempre fui o tipo de pessoa que prefere se retirar do meio dos outros quando não está bem. Certo, naquele dia eu não estava bem e não me recordo o motivo e não procurei ninguém para ocasionalmente me ajudar. Prazer, eu sou Tiago Lima, o rapaz que prefere carregar suas dores sozinho.