6.8.16

MEU PARAÍSO DE MÉMORIAS

Não sei o que deveria fazer parte das minhas memórias, mas tem tanta coisa que guardo dentro da minha cabeça que aqui deve ser o paraíso das lembranças. Minha mente não tem limites por mim pré-estabelecidos, então eu só lembro e só relembro e só me deixo reviver e re-sonhar. Não tenho coragem de excomungar certas lembranças e certas recordações que compuseram ou tentaram destruir o que fui ou o que sou. Minha cabeça é o verdadeiro paraíso de memórias concretas e não concretas e fragmentos de lembranças e sonhos já realizados e sonhos que jamais serão realizados. Hoje o paraíso sem regras da minha cabeça decidiu ficar pesado e mórbido, pois uma bagunça foi criada quando tentei estabelecer limites. Estou preso em situações passadas e em momentos nem tão passados que estão envolvidos em lembranças presentes e em momentos bons demais para serem de mim tirados. Existe uma certa rebelião do que não é bom dentro de mim, e essa rebelião tem como refém tudo que há de bom dentro de mim. Meu paraíso de lembranças hoje está em guerra. Meu paraíso de memórias hoje trava uma verdadeira batalha. Meus sonhos estão na luta por mim e meus sentimentos felizes estão na causa por mim, mas não sei como por um fim na guerra travada no meu paraíso involuntário de lembranças.

Eu não posso apagar o que me compõem. Eu não consigo saber o que me molda. Eu não posso apagar qualquer lembrança ruim que fez de mim um ser mais forte. Eu não posso apagar qualquer lembrança boa que fez de mim um ser mais forte. Eu não sei que botão apertar para apagar de dentro de mim qualquer espécie de lembrança que lidera essa guerra. Estou parado e perdido dentro do meu próprio paraíso de memórias. Eu não sei como sair de dentro de mim e muito menos sei como colocar tudo em seu devido lugar. Eu não sei se preciso de novas lembranças ou se simplesmente preciso forjar uma perda momentânea de memória. Não quero ficar sem minhas lembranças, mas não quero ficar estagnado dentro de uma guerra. Eu não queria estar aqui e nem queria estar ali, mas eu preciso estar de junto das minhas memórias...