2.12.17

MANIFESTO

Eu ainda não morri!
Respiro, suspiro e sinto
Existo e persevero
Mesmo que eu passe
Repasse e descompasse
Estou submetido a existir
A sorrir, gargalhar a dizer
O que penso o que sinto
A esconder o que pensei
A disfarçar que não gostei
Eu existo não por querer
Mas porque fui colocado aqui
Para crescer, cair e aprender
Para sofrer e provar do desprazer
De ser morto a cada anoitecer
De estar vivo a cada amanhecer
Eu existo e respiro com dificuldade
E me sinto velho para a idade
Porque conheço a dor e o rancor
O amargor e o azedume de cada dia
Eu não desejei viver
Mas estou aqui a fingir que sei
Que entendi e acolhi meu propósito
Engulo a seco cada dia
Que fui esquecido e deixado
Que fui brutalmente assassinado
Eu convivo com a conformação
Mas provo a cada dia da inconformação
Por não acreditar nas regras
Nas cláusulas e nas histórias
Eu pulei do abismo
Porque quis voar
Quis fugir
Quis manifestar.