QUE SEJA IMPERFEITO


Eu só preciso continuar. Passar pelos meus desertos. Preciso sentir tudo que me rodeia, preciso deixar que me queime tudo que me encendei-a e preciso deixar partir aquilo que não almeja ficar. Só preciso tropeçar, cair, me machucar e sentir o ardor de cada ferida. Só quero estar na vida para viver cada coisinha que ela decidir me propor.

Cansei de sentir medo de seguir o caminho errado ou de falar as palavras equivocadas. Eu preciso ir pelo caminho sombrio as vezes. É simplesmente impossível me cobrar um acerto toda vez que as escolhas são entregues em minhas mãos. Não posso mais evitar dizer o que vem da mente, do coração e da alma pelo simples motivo de temer a reação e o receber do outro. Cansei de me vetar a sinceridade, a audácia, os erros, as dores e as lágrimas. Não posso e não quero ser perfeito. Quero estar aqui para ser alcançado por todos os sentimentos da vida, por todos os sentidos do viver.

E se meu caminhar cruzar o caminhar do outro - nem que por um instante - quero viver o outro, sentir o outro e aprender com o outro. Se o vento decidir levar para longe a importância que tenho pelas pessoas, que eu sinta a dor e entregue ao tempo o rancor. Quero ter laços passageiros, amores por inteiro e sorrisos sinceros. Quero saudade saudável, declarações baseadas em lucidez e quero conviver com o defeito do outro. Preciso me decepcionar com a falsidade, com a dualidade, com a superficialidade e com todos os trejeitos de quem chegar até mim. Preciso ser passageiro, inteiro e duradouro. Preciso me entregar ao sentir de cada pessoa, ao amor de cada coisa, ao agradecer de cada palavra e, mesmo que tudo isso esteja equivocado, não quero mais tentar ser perfeito.