14.2.17

ESTOU RECONSTRUINDO MEU CÁRCERE (SENTIDO EM 11/2/17)

Provavelmente você deve estar agora tentando entender a imagem distorcida de mim que fiz questão de te mostrar naquela sexta-feira. Eu digo que não foi minha intenção ferir seu coração e nem mesmo te partir ao meio, mas confesso que foi minha intenção te empurrar para longe. Eu fui um bom ator e minha encenação provavelmente atingiu o ápice da minha carreira imaginária. Eu te pedi tantas vezes para permanecer longe de mim, mas você nunca conseguiu atender ao meu pedido. Amor? Sim, foi amor. Eu fui honesto ao te dizer que preferia te ver com menos frequência, mas fui um mentiroso quando te disse isso com a maior serenidade do mundo. Eu sei que o que construímos ainda é sólido e ainda acredito que, pelo menos até ontem, você também acreditava nisso. Não perdi a visão real que tenho de você - aquela visão majestática da pessoa incrível que sei que você é - e não quero que você perca essa visão da sua própria natureza. Eu te vejo simplesmente como você é, porém já não me vejo mais como fui e talvez seja por isso que não me senti mais próximo de você. Sei que você deve ter ouvido uma história tóxica sobre mim e sei que isso te provocou sentimentos contrários, mas tente me ver como sempre disse que via: simplesmente como sou.

Sim, é amor.

Se conseguir me acompanhar, segure as minhas mãos e escute bem o som da minha voz. Consegue se lembrar de tudo que te contei sobre mim? Foi difícil derrubar os muros que me cercavam para tentar construir tudo que construir junto de você. Foi difícil arrancar de mim todas as minhas dores, mas, por vezes, tive você ao meu lado. Foi complicado demais definir uma das minhas várias máscaras como a minha verdadeira face, mas tive o prazer de ter a luz da sua alma como guia. Foi doloroso demais permanecer na escuridão sozinho, mas me lembro das suas mãos segurando as minhas. Eu encontrei uma maneira real de deixar você entrar na minha vida por completo - e o mesmo fez você ao tentar me aceitar do terrivelmente e traumatizante jeito que sou - e não me arrependo de tê-lo feito. Eu derrubei a fortaleza que me cercava e me mantinha refém das minhas dores porque confiei que você poderia me ajudar e que faria isso de coração. De fato você fez. De fato eu fiz. Eu me mostrei como sou e te mostrei também como consigo ser, mas não creio que tenho te mostrado tudo que sinto verdadeiramente. Hoje eu senti tanta coisa, porém não quero que ninguém saiba e nem preciso que isso venha a público pois sei que aquela atuação me transformou num verdadeiro vilão. Por favor, leve com você tudo que te dei e levarei comigo tudo que você me deu. Não vou atrás de você e nem precisa sentir vontade de vir atrás de mim, pois as coisas devem acontecer para frente e seria um retrocesso se ambos almejassem um ir atrás do outro.

Sim, é amor.

Agora estou reconstruindo aquele muro que antes me cercava com o objetivo de ele me manter seguro. Estou me escondendo do aperto de mãos, dos abraços, das palavras e estou colocando abaixo toda construção que consegui finalizar enquanto estive liberto da minha fortaleza. Estou quase impossível de se ver e numa medida desesperada de não ter mais que atuar para destruir corações tirei de mim as minhas asas de anjo, as minhas palavras doces, a vontade de amar, a paixão por sorrisos e esfaqueei a parte de mim que insistiu em me convencer a não construir meu próprio cárcere. Não lembre de mim como um monstro e não me eternize como um vilão. Desculpe se não cheguei a te explicar os porquês de tudo isso, mas tive medo de você não me entender e nem se esforçar para ao menos sentir o que sinto.

Se ainda quiser, podemos comer torta de banana. Só lembre-se de onde pode me encontrar.