15.1.16

OS MÉRITOS SÃO DO MEU FASTIO

O que minha alma traz é o fastio
Não me refiro especificamente a nada,
Nem sequer a alguém
O meu fastio é legítimo e meu,
Por isso não atribuo ele a nada ou alguém.

As minhas reflexões são inválidas.
As angústias não me permitem paz nenhuma.
O desespero fora trazido por problemas que eu nem mesmo criei.
Tudo isso é pesado e parece ser invencível ou duradouro demais.
O meu fastio tem méritos.
Os méritos não são meus.
Os méritos são do meu fastio.

Os méritos são do meu fastio

Deve existir a paixão sem fim e o amor ao desconhecido,
Deve existir quem ainda luta pelo improvável e quem já alcançou seus objetivos
Eu não me encaixo em nenhuma das opções acima
Porque já amo o que tenho
Porque luto pelo real e não possuo objetivos
Porque quero pouco e já sonhei muito,
Mas sei que sonhei o que podia acontecer...

A resolução é simples:
Ainda não vivo a vida desejada,
Os sonhos sonhados foram esquecidos,
Sou confundido com um nada, aquilo, isto ou qualquer coisa.
Restou para o que sou hoje um gigantesco
- com alegria legítimo e íntegro -
Um sólido e notório FASTIO.



Flickr Instagram Twitter Google +