11.6.16

BRINCAR DE SER INFELIZ



O silêncio me pegou
Fez de mim mudo e calado
A cegueira me tocou
Fez de mim cego e inválido

Eu me afastei para não ter
Que falar, gritar ou resmungar
Eu saí de perto para não ter
Que ver tudo se desmoronar

Enquanto todos brincavam de ser infelizes
Eu fui viver minhas amarguras
Sozinho e solitário
Sem problemas alheios

Se sou adorável sorrindo
Posso ser odiável magoado
Eu não quero mais dar nada de mim
Quero guardar para mim tudo que é meu

Eu saí de perto de todos 
Para ficar sozinho e seguro
Eu prefiro ficar aqui refletindo
Do que ficar brincando de ser infeliz

Não quero que ninguém escoste em mim
Ou toque em tudo que sou
Eu não quero ser aquele que brincou
De ser infeliz