PSICOLOGICAMENTE ALGUÉM

alguém

A cada novo dia tentando se manter em pé e firme. A cada novo desastre do cotidiano cresce um sentimento de esperança. Tentando se manter em pé no terremoto e seco na chuva, ele segue seu caminho sem uma rota definida ou qualquer sentimento de vitória. Liberdade foi um sentimento que ele já sentiu, mas hoje marcha recebendo ordens do anseio de justiça ou somente pela mudança de vida. O menino simples da pele escura e do cabelo rebelde que cresceu na simplicidade hoje caminha rumo ao desconhecido.

Mover montanhas nunca foi seu forte. Ser forte e firme nunca foram suas qualidades. Mas ser sonhador sempre foi sua principal característica. Caminhando sempre por caminhos solitários, tendo como sua única companhia a crença inabalável no amanhã deixou para trás suas piores perspectivas do mundo. Mas, como qualquer ser humano, carrega marcas e traumas dentro de cada pedaço do seu minusculo ser. Fugitivo do medo, guarda dentro de si inúmeros pavores. Refém de suas próprias inseguranças, consegue ser livre para seguir assiduamente suas próprias escolhas.

Amarrado apenas por falsos nós de palavras, encontrou nas corriqueiras injustiças do cotidiano a coragem para se definir como quem hoje é: misterioso, introspectivo, solitário e livre de rótulos. A natureza viva das suas composições dividiu sua vida em uma gigante paleta de contrastes. Sereno e agressivo, conseguiu se tornar a visão distorcida do rapaz que jamais será bem interpretado. Certa vez alguém o chamou de psicologicamente perturbado, mas, indignado, ele sorriu e gargalhou. Uma outra vez o chamaram de louco e desorientado, mas, indignado, ele decidiu ouvir pela última vez.

Sua vida foi construída num carcere ditatorial, mas por vezes ele gritou aos céus clamando liberdade. A felicidade parecia ter apodrecido num pântano de desejos e medos alheios e suas escolhas pareciam ter sido infectadas por escolhas de terceiros...

PARTE 1