EU SINTO SUA FALTA


Talvez a essas alturas você tenha percebido, mas caso eu não tenha deixado claro: eu sinto falta de você. Não sei explicar, mas minhas feridas já desapareceram. Não tenho cicatrizes e não porto qualquer receio. Eu sinto falta do seu louco e incompreensível amor. Sinto falta do seu jeito torto de demonstrar que me ama. Eu queria estar bem com você, queria te ter de volta só para mim.

Nada jamais foi igual desde que rompemos inesperadamente. Depois que nosso santo deixou de bater e eu te mandei embora, percebi que não soube aprender a te compreender. Assumo meu erro e reconheço a gravidade das minhas ações. Eu deveria ter ido mais fundo em você. Eu deveria ter caído de joelhos junto com você. Eu deveria ter tentado entender sua confusão e deveria ter beijado a sua boa para colocar um fim naquela guerra tonta de querer e não querer.

Eu estou em sua órbita, mas você agora decidiu não me ver mais. Hoje eu faço o que você fez, sofro pelo nosso amor sendo praticamente culpado por ter terminado a nossa história. Eu queria te ter ao meu lado por inteira que, mas não consegui acompanhar o seu compasso e não pude me sentir parte dos seus sonhos, dos seus desejos comigo compartilhados. Eu ainda amo o seu jeito constante de mexer no cabelo e ainda não gosto da maneira como você me julga. Eu ainda amo o seu jeito neuroticamente preocupante de cuidar de mim e ainda não gosto da maneira como você não está disposta a mover montanhas para estar junto de mim. Eu ainda amo suas qualidades e não consigo compreender muitos dos seus defeitos.

Seria incrivelmente mágico se estivéssemos abraçados agora ou caminhando por aí de mãos dadas. Não sei lidar com a sua nova metodologia de se fazer de sonsa e não entendendo como você tem conseguido me tratar como um mero amigo. Amei você tão puramente e não consigo entender o porquê de eu ter te mandado embora.

Ainda hoje lembro-me da minha dificuldade de lidar com o seu mau humor e a minha limitada paciência para lidar com o seu ciume. Ainda sinto falta dos seus cuidados, das suas loucuras, dos seus abraços, da sua imaturidade, dos seus erros, dos seus acertos e da sua linda e insuportável maneira de ser. Você fez ser fácil e feliz, mas juntos tornamos tudo complicado e doloroso. Não podemos ser culpados, pois, aparentemente, nós dois não entendiamos sobre o amor.