BUSCAR O QUE É ADEQUADO


A história da minha vida se resume em buscar o que é adequado e certo para mim.
Continuo evitando o contato humano que por diversas vezes provocou tristezas e manchou minha alma. As vezes parece que sou o errado e quem me ama acaba tentando evitar minha companhia. Eu sou um novo tipo de homem comum, mas a única notória diferença é que quero ser invisível. As vezes a minha insensibilidade acaba por matar o amor, e é exatamente por essa razão que o meu céu é cinza. As histórias transcendem a realidade e a inconformidade é o pilar para novos capítulos. Para todos jamais conseguirei ser cem por cento verdadeiro, e sei que a verdade tem sido o ponto forte de todas as minhas histórias, então não entendo o porquê de ser tão atingido as vezes. Eu sei que já fui infiel comigo mesmo, porém a podridão de dentro tomou sua forma física. Sei que não estou feliz, sei que posso seguir a projeção das pessoas e criar um outro cara, sei que posso continuar com minha fiel infelicidade e sei que sou exatamente o que decidi ser. Hoje, eu poderia me ver morrendo e simplesmente sentaria para assistir. Não  quero fazer parte de outras histórias, apenas quero continuar escrevendo. Acho que sou o tipo de narrador onisciente numa história que é julgada por muitos como sem nexo, mas ela é, com certeza, marcada pela dor. Eu já morri tantas vezes que morrer mais uma vez não faria nem uma diferença. Nessa história fui machucado, mas não quero machucar, de contrapartida só desejo ver as luzes se apagando. Na vida real não posso ser um assassino, mas no meu mundo fictício posso ser morto. Sinto um certo desconforto no ar... Não quero me mexer, não quero dar satisfações, não quero levar o fardo pesado da alegria e não desejo ser massacrado pelo tempo. Confesso que não consegui desenvolver alguns capítulos e, por decorrência, fui usado como marionete. Só desejo andar pelas ruas sem ter que me preocupar com qualquer coisa. Só quero ser reconhecido e aceito pelo o que sou. Só preciso que as pessoas se arrisquem a ler essa história. Não vou mais levar em consideração as opções do coração, porque todos sabemos que ele não diz a verdade.