UMA SIMPLES ROUPA DESBOTADA

UMA SIMPLES ROUPA DESBOTADA
Uma simples roupa desbotada
Com um simples e pesaroso sorriso
Me pergunto se a vida ainda me fará um homem
No transporte público, em meio a tantas pessoas, sou invisível
Esse rapaz que vos fala simplesmente prefere ser invisível

Por que querer atenção
Quando a indiferença simplesmente é recíproca?

Eu até tentaria socializar
Porém não tenho uma máscara para a ocasião
Esse rapaz que vos fala não se julga "horrível"
Mas deixo nas mãos de terceiros a habilidade para julgar


Prefiro continuar a procurar
Um lugar que eu considere meu
Para assim poder falar "a vida também desbota"
Sei que a maioria também considera essa visão óbvia
Eu sei tanto sobre essas coisas
Mas prefiro continuar a não existir

Estou aqui nesse mesmo lugar
Com as mesmas roupas desbotadas
Somente analisando as vantagens
Somente almejando
Somente torcendo
Para ninguém me notar.