SILÊNCIO


Dentro de mim o silêncio é medonho
Indiferente como o piscar dos olhos
Um provedor de linhas definidas
De novas histórias bem escritas

Pensamento nenhum acontece
O que era acordado agora adormece
E num intenso momento ecoa
O silêncio de uma mente introspectiva

Silêncio que assusta os sonhos
Silêncio que a solidão convida e
A coesão determina

De contrapartida minha mente entende
Que a solidão transforma em companhia
As angústias de uma mente contemplativa.