ONE SINGULAR BREACH

Todo coração pesado precisa de uma brecha de alegria, toda alma carregada precisa de uma brecha de ternura e leveza, toda rotina precisa de uma brecha de espontaneidade, todo corpo cansado precisa de uma brecha de mocidade, toda expressão fechada precisa de uma brecha de um sorriso, todo olho marejado precisa de uma brecha de um brilho qualquer...

One Singular Breach

Bom, depois de "Reflexos da Alma" apresentaremos hoje "One Singular Breach". 
Produzir esse trabalho foi uma verdadeira libertação e confesso que nunca havia me sentido tão criança e tão livre antes. A direção de fotografia e a justificativa que você lerá aqui foram da Olívia Vieira e a ideia inicial foi da Noemi M. Senhoras e senhores, confiram as cores desse belíssimo trabalho.

As fotos desse excêntrico ensaio fotográfico demonstram toda força e poder que 'uma brecha singular' tem. "One Singular Breach" é o exato momento de exaltação da tal brecha guardada em nós, o momento em que nos libertamos de tudo, de qualquer convenção e/ou burocracia social, para brincar de ser livre e simplesmente se divertir.

One Singular Breach One Singular Breach

Tal como o modernismo, que teve início no começo do século XX, ganhou vida e se fortaleceu na ideia de liberdade se escrever o que quiser, de pintar como se quiser, de ser como se quer ser... Foi nesse momento que os amantes da arte romperam as barreiras do tradicionalismo e de valores rígidos. E no processo de criação e investigação pessoal, se pôde ver a ousadia, a liberdade de estilo, a emersão da coloquialidade e as mais diversas perspectivas diferentes de se fazer arte. 

Para me fazer entender melhor, destaco uma simples contradição: 'A mesma fórmula imutável generalizada para uma espécie em que cada um tem um DNA singular'. Somos cada um singular. Somos cada um o seu próprio jeito de ser. Somos cada um o seu próprio jeito de ver. Somos cada um o seu próprio jeito de sentir.

One Singular Breach One Singular Breach

Como protagonista de "One Singular Breach" temos Tiago Lima, escritor e mantenedor do Limoções, com quem já trabalhei várias vezes em outros projetos (Night In The Street, Walking On Fallen Leaves, Sereno Contraste e outros), mas nesse ensaio em especifico pude receber uma entrega ainda maior, não só como modelo, mas como pessoa. Tive a felicidade de ter uma parceria de total entrosamento, onde ele soube entender o exato momento e demonstrar da melhor forma possível e a procura da melhor perspectiva de todo o quadro ficou por minha conta. A destreza ao posar e a entrega somaram muito para fazer dessas fotografias algo ousado e impressionante.

One Singular Breach One Singular Breach One Singular Breach

As cores escolhidas com tons fosforescentes se adequaram, pois mesmo quando o fornecimento de energia cessa, ela continua a emitir luz. Numa singela metáfora, faço o comparativo com a mesma brecha que temos, pois não importa se ela estiver no escuro ou esquecida, ela ainda emitirá luz.

Cores vivas que se completam e se misturam dão vida ao simples desejo de felicidade não perdida. Esses tons nos traz a alusão de algo próximo, íntimo, e talvez até nostálgico para quem se lembra de uma boa aquarela.

Numa travessura com tintas, usamos gestos instintivos e deixamos o acaso e o aleatório determinarem a desenvoltura do 'ambiente', no que se diz 'envolver o cenário e a pessoa'; assim como o pintor norteamericano Paul Jackson Pollock (1912 – 1956) pincelava suas imensas telas. Na inspiração de uma intensidade emocional combinada com uma estética não padronizada representamos, de certa forma, o Expressionismo Abstrato, técnica usada pelo artista.

One Singular Breach

Em algum lugar 'no meio de nada' com a natureza e o céu aberto para nos receber, encontramos o perfeito cenário para esse ensaio que retrata uma imaculada visão de um mundo interno, já que próximo à natureza nos reconectamos, de peito aberto, as nossas verdadeiras origens e aos verdadeiros sentimentos. As roupas simples também faz menção à delicadeza e fragilidade em que nos encontramos quando mergulhamos nessa agitação de sensações e, em contrapartida, nos dá a graça da diversão que, ao menos dentro dessa brecha, aprende a voar.

One Singular Breach One Singular Breach

Para firmar esse entrelaço entre cenário, cores, modelo e olhar fotográfico, ninguém melhor do que Agenor de Miranda Araújo Neto, nosso eterno Cazuza, para nos contagiar com sua espontaneidade de uma juventude cheia de determinação e de forte defesa de seus próprios ideais. Sua molecagem nos ensina a se aventurar por dentro da 'brecha', por dentro do que somos e poderemos ser. Ao som de suas músicas, busquei, em cada captura, encontrar o seu jeito de gozar o que se tem para viver, de viver intensamente, jeito de se permitir ser um coração livre.

One Singular Breach One Singular Breach One Singular Breach One Singular Breach

Por fim, quero agradecer ao Tiago Lima pela oportunidade e parceria prazerosa, pelo espaço aqui cedido no tão querido por mim, Limoções, e também pelos cuidados com as fotografias na pósprodução. Agradeço também à Noemi Mendes pelo incentivo inicial e toda a força para que esse trabalho surgisse. Sou grata também à você leitor com quem tive a honra de compartilhar uma visão e várias fotografias esplêndidas das quais eu tenho grande orgulho.

We just need to keep our singular breach...

Acabamos de conferir as fotografias da Olivia e a justificativa do trabalho que também foi escrita por ela. Quero agradecer essa fotógrafa amiga do Limoções e reforçar meus votos de estima e consideração por essa parceria consagrada. Agradeço você leitor que tem acompanhado esses trabalhos de natureza poética.