VIVA DE VENENO

Com o tempo somos obrigados a sobreviver de veneno. É como se nosso alimento fosse a maldade, a duplicidade e todo o ódio que nos é entregue. Temos que nos adaptar e permitir que todos os tipos de dores e males nos motivem a continuar. Nossa alma torna-se calejada e, além de esmorecer, começa a se alimentar do ruim e dolorido para ter forças, para nos motivar.


Então se o amor for pouco e a dor prevalecer, viva de dor. Não tente conviver com a dor, apenas faça dela seu alimento, seu motivo para seguir, para sorrir, para sonhar e para continuar a lutar. Devore o veneno sem medo. Se nada te matou até aqui, não há razões para temer.

Vamos conversar?