O ANACRÔNICO ENCONTROU O SEU LUGAR?


Essa foi pergunta que me fizeram, porém a resposta não foi obtida. Passa o tempo, passa a história e os dias não melhoram. Fica cada vez mais difícil de saber "qual é o meu lugar?". Tenho buscado responder essa pergunta, mas parece que a cada tentativa a resposta fica mais longe. Não pedi para existir, se estou aqui é contra minha vontade. Não tenho deixado de viver, não tenho desistido, apesar da vontade de largar tudo as vezes falar mais alto. Eu não me sinto livre a tomar minhas escolhas, pois cada uma delas apresentará uma consequência diferente. Aí você deve estar pensando: "nossa, que crise existencial!", mas não é uma crise, bom, pelo menos é o que eu acho, outrora que crises são consideradas "coisas" passageiras. Sabe de uma coisa? Não, você não sabe. Eu ando tão cabisbaixo. Precisando muito de um empurrão, de uma coisa inesperada - e motivadora. Isso é muito louco: a gente precisa de algo ou alguém. Mas, sabe, a gente sempre precisa de alguma coisa que nos coloque no eixo. Ando meio fora dos trilhos, se é que você consegue me entender. Andei pensando na vida e reparei que as coisas não estão caminhando muito bem - é, sei que isso dá calafrios… Mas as respostas um dia aparecerão, ou pelo menos uma delas. Não posso desistir, preciso voltar aos trilhos e responder a pergunta: onde será o meu lugar?

Um Anacrônico - 2014