SE ME QUISER BEM

Não me olhe desconfiadamente
Não se atende ao meu avesso
Não foque no meu erro
Não tenha medo de mim

Sou assim como você
Aprendiz do viver
Que precisa tropeçar
Para aprender

Sou tão humano quanto você
Para reconhecer a hora de parar
Refletir e repensar
Que nem tudo é meu

Que nem todos os sonhos são meus
Quem nem toda flor é do meu jardim
Que nem todo sorriso é para mim
Que nem todo o amor é meu

Se conseguir me querer bem
Serei bem como você
Se conseguir me enxergar
Saberei como te olhar

Serei como você é para mim
E o que passar disso
Será somente para mostrar

Que posso fazer o bem.

Se me quiser bem prometo que te darei o bem.

JULGAMENTO

Como se não bastasse viver
Ainda tenho que conviver
Com o dedo apontado 
Na minha face
Com o julgamento alheio
Que encontrou nos meus erros
Conforto para suas falhas

Como se não bastasse conviver
Ainda tenho que aceitar
Que cada tropeço meu
Será motivo de aplausos
Para aqueles que cercam o meu viver
Poderem estar em pé
A me condenar

Cada palavra minha 
Poderá ser usada como arma
Assim como cada passo meu
É usado como pedra
Por quem só enxerga o meu errar

Eu vivo as acusações
E recebo bem o julgar
Escuto as condenações
Mas não vivo o ontem
Muito menos o ontem de outrem.

MANIFESTO

Eu ainda não morri!
Respiro, suspiro e sinto
Existo e persevero
Mesmo que eu passe
Repasse e descompasse
Estou submetido a existir
A sorrir, gargalhar a dizer
O que penso o que sinto
A esconder o que pensei
A disfarçar que não gostei
Eu existo não por querer
Mas porque fui colocado aqui
Para crescer, cair e aprender
Para sofrer e provar do desprazer
De ser morto a cada anoitecer
De estar vivo a cada amanhecer
Eu existo e respiro com dificuldade
E me sinto velho para a idade
Porque conheço a dor e o rancor
O amargor e o azedume de cada dia
Eu não desejei viver
Mas estou aqui a fingir que sei
Que entendi e acolhi meu propósito
Engulo a seco cada dia
Que fui esquecido e deixado
Que fui brutalmente assassinado
Eu convivo com a conformação
Mas provo a cada dia da inconformação
Por não acreditar nas regras
Nas cláusulas e nas histórias
Eu pulei do abismo
Porque quis voar
Quis fugir
Quis manifestar.

JÁ FOI POR VOCÊ


Foi por te amar que te deixei livre
Permiti que você caminhasse
Dei espaço para o seu respirar
Te assisti brilhar

Foi por querer você que te dei tempo
Deixei você caminhar no seu tempo
Viver o seu compasso
No seu espaço

Foi somente por amar você
Que te apresentei ao universo
Ao invés de te prender
Te ajudei a voar
Enquanto te via sonhar
Te dei flores
Te dei um mar de amores
Enquanto você caminhava
Eu me preparava para ti
Para te fazer sorrir
Te fiz dona do meu amor
Esperando seu amor

E se eu dizer que tudo já foi por você?..

QUE SEJA IMPERFEITO


Eu só preciso continuar. Passar pelos meus desertos. Preciso sentir tudo que me rodeia, preciso deixar que me queime tudo que me encendei-a e preciso deixar partir aquilo que não almeja ficar. Só preciso tropeçar, cair, me machucar e sentir o ardor de cada ferida. Só quero estar na vida para viver cada coisinha que ela decidir me propor.

Cansei de sentir medo de seguir o caminho errado ou de falar as palavras equivocadas. Eu preciso ir pelo caminho sombrio as vezes. É simplesmente impossível me cobrar um acerto toda vez que as escolhas são entregues em minhas mãos. Não posso mais evitar dizer o que vem da mente, do coração e da alma pelo simples motivo de temer a reação e o receber do outro. Cansei de me vetar a sinceridade, a audácia, os erros, as dores e as lágrimas. Não posso e não quero ser perfeito. Quero estar aqui para ser alcançado por todos os sentimentos da vida, por todos os sentidos do viver.

E se meu caminhar cruzar o caminhar do outro - nem que por um instante - quero viver o outro, sentir o outro e aprender com o outro. Se o vento decidir levar para longe a importância que tenho pelas pessoas, que eu sinta a dor e entregue ao tempo o rancor. Quero ter laços passageiros, amores por inteiro e sorrisos sinceros. Quero saudade saudável, declarações baseadas em lucidez e quero conviver com o defeito do outro. Preciso me decepcionar com a falsidade, com a dualidade, com a superficialidade e com todos os trejeitos de quem chegar até mim. Preciso ser passageiro, inteiro e duradouro. Preciso me entregar ao sentir de cada pessoa, ao amor de cada coisa, ao agradecer de cada palavra e, mesmo que tudo isso esteja equivocado, não quero mais tentar ser perfeito.