ALMA

Ó pobre alma
Que tristeza é essa?
Que desânimo é esse?
Me lembro de ti forte
Única e muito iluminada
Pensei que não te veria assim tão cedo
Trilhando caminhos escuros demais
Sozinha
Amargurada

Ó pobre alma
Abriste mão das máscaras
Viveste a realidade
Quantos espinhos em ti
Deixe-me ajudá-la
Descanse sem medo
Deixe-me te aquecer
Deixe-me te proteger

Ó pobre alma
Não fique aflita
Cuidarei de ti
Te ajudarei a se reconstruir
Lutaremos juntos
Não desista
Continue comigo
Não desista de existir

Ó pobre alma
Estou com você
Estou tão quebrado quanto ti
Estou lutando por mim
Agora também luto por você
Fique firme comigo
Cuidarei de ti.

(Escrito nem dolorosamente e 
nem felizmente num pasto qualquer)