14.4.16

ESTOU CAMINHANDO LENTAMENTE

Continuo caminhando lentamente pelo mundo prestando atenção em detalhes importantes ou irrelevantes, mas decido se fico parado ou se continuo caminhando. Estou abusando da tolerância e a minha paciência está ao meu lado. Nessa nova visão de caminhada não temo mais a escuridão e tenho passado por ela com a luz do meu olhar.

Não tenho uma segunda pele, então estou caminhando com as minhas marcas e passei a apreciar as minhas cicatrizes. Não estou dentro de uma bolha de proteção, então caio, me machuco, sangro, me quebro, mas trago para junto de mim cada aprendizado. Meu calor emana da alma viva e minha alegria tem seu lugar guardado na presença ilustre da minha sensatez. Caminho na linha tênue do cansaço e da euforia, caminho perto do mar sem vida e da floresta rica em existência.

Lentamente pelo mundo

Eu tenho me mostrado para quem quer me ver. Eu sei que as cores são muitas, mas quero decorar tudo e desejo muito vislumbrar a mistura escondida em cada centímetro do meu imenso mundo. Meu objetivo é passear pelo meio do meu povo e fotografar cada espécie da minha natureza suntuosa. Eu tenho exposto minha escrita, minha vida e meus pensamentos que nada mais são registros de um viajante que vive transitando entre estar do lado de fora ou do lado de dentro da janela.

Estou andando lentamente pelo meu rico e exuberante mundo e tenho manifestado a minha arte para quem desejar ver.