3.4.16

PELO MENOS POR HOJE

DSC_0127

Pelo menos por hoje parece que perdi minha consciência e decidi me guardar para o amanhã que, felizmente, ainda não conheço. Meus objetivos ainda são sólidos, mas minhas vontades se esvairam de mim como água. Estou muito quente e meu coração está um tanto ansiado esperando alguma novidade ou alguma particularidade inovadora. Não perdi a esperança, mas pelo menos por hoje não desejo alimentar qualquer fé no amanhã. O mau humor roubou de mim um sorriso sincero, mas, se for preciso, vou até o dia de ontem buscar qualquer felicidade. Não quero guerrear contra qualquer sentimento obscuro, pois sou humano e tenho que sentir o que é real. Pelo menos por hoje não desejo impedir que o mundo me transforme num mero qualquer. Bom, a fé está guardada e a decepção está em pé, e firme e forte no proposito de, pelo menos por hoje, ser melancólico estou. Tenho carne, tenho ossos, tenho um coração e não quero ser julgado por somente querer ser tratado como humano. Os sentimentos "negativos" não são vilões e, por sentir com sinceridade, não estou traindo a vida que me cerca. Estou vivendo cada dia como me é proposto, mas cada um sente aquilo que lhe foi entregue. Pelo menos por hoje eu não desejo fazer uso das energias da vida que me rodeia e também não desejo ver a luz do sol.

Não me transforme num bobo da corte
Não me obrigue a sorrir
Não me obrigue a gargalhar
Não me obrigue a ser uma máquina
Não me obrigue a ser aquilo que você desejar

Eu não posso ser somente feliz
Eu não posso somente chorar
Eu não posso me forçar a sentir o que não conheço
Eu não quero ser transformado em um vilão

Sou humano com carne, ossos e coração
Desço ao chão para lamentar
Levanto ao céus para gritar
Eu vivo cada sentimento que até mim chegar