24.9.16

ESCURIDÃO


Metade de mim se perdeu numa floresta sombria, depois que cogitei a possibilidade de desistir. Quando eu disse talvez ao em vez de sim. Quando esqueci dos sonhos. Quando me permiti sofrer por amor sem merecer. Fiquei perdido naquela floresta, uma parte sombria da minha vida, e quando voltei para me buscar, encontrei um novo eu. A partir daí percebi que não devo procurar coisas perdidas entre a escuridão. Posso até encontrar alguma coisa, mas provavelmente não caberá mais em minha vida, porque eu cresci. Mudei, me tornei mais forte e menos medroso. Aquilo que consegui recuperar, transformei em textos retalhados de lembranças que ainda tentei remontar de sentimentos, que colei, até na prateleira ficar. - 28/4/14