15.9.16

WINDOWS


window window window
window

Da janela eu via uma majestosa montanha
Da janela eu via um belo cruzeiro no alto do morro
Da janela eu via uma vida simples e pacata
Da janela eu via as roupas coloridas
Da janela eu via como seria a minha vida se eu pudesse viver junto de meu povo.

window window window

Janelas: iluminadas pela luz da manhã no novo dia que nasce. 
Luzeiro: portas de entrada de toda a esperança perdida no dia anterior.
Lumes: despejam água quando a alma necessita de uma limpeza involuntária.
Olhos: azul do céu, que sobre mim existe, quando externalizei as verdadeiras razões de eu viver, me devolveu uma imensidão que talvez esteja relacionada a uma nova maneira de ver.

window window window
Palavras-chave: janelas, portas, conceitual, conceitos, cores, tintas, quente, Bahia, Brazil, Brasil, fotografia, poesia, resgate, escrita, inspiração, amor, terra, nordeste.